Facebook

Triathlon Internacional de Santos: 10 (importantes!) razões para você estar lá – Ativo

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr +


Todo esporte tem sua história, seus ídolos, seus fãs, seus fatos marcantes. Com o triathlon isso não é nem um pouco diferente. Centenas de atletas e entusiastas sabem ou já ouviram falar que o Ironman do Havaí foi concebido num bate papo entre Mariners norte-americanos e que seu idealizador foi o ex-oficial John Collins. Ok, isso é praticamente domínio público entre a comunidade do triathlon. Já o triathlon tradicional, talvez menos “glamourizado” hoje em dia, tem seus primeiros registros lá pelo ano de 1974, em San Diego, onde foi realizado nas distâncias aproximadas de 500 m de natação (em piscina), 12 km de bike, e 5 km de corrida (em pista de atletismo). Perfeito! Isso é a história do triathlon no mundo. Mas e aqui no Brasil?

Aqui, dentre várias provas, várias histórias, vários fatos e vários atletas que marcaram o aparecimento e o crescimento do #nadapedalacorre, tem uma prova que é a menina dos olhos dos triatletas brasileiros, principalmente daqueles que têm o TRI como um estilo de vida, como um desafio pessoal, como uma saudável, sincera e duradoura rede social de amizades.

Estamos falando do Triathlon Internacional de Santos, que desde de 1991 fez da referida cidade a capital brasileira do triathlon, tornando-se um marco do esporte no Brasil.

Sou um apaixonado pelo TRI, sim! Paixão e amor incondicionais! E tudo começou naquele verão de 1992, quando eu andava pela orla de Santos e vi passar correndo (e correndo forte!) de sunga Marcus Ornelas, Armando Barcellos e Oscar Galindez (não necessariamente nessa ordem). Era o Triathlon Internacional de Santos, galera!

Realizado à tarde, com largada às 14h, na praia do Boqueirão, entre os canais 3 e 4! Aquilo me deixou surpreso, arrepiado, empolgado, motivado de uma maneira tão intensa que prometi para mim mesmo que no ano seguinte eu estaria lá, alinhando com esses super atletas. E foi o que aconteceu!

Comecei no TRI em 1993 e até hoje estou aqui, no melhor estilo “lifestyle” do esporte, e fazendo de tudo para motivar muito mais pessoas a encararem esse desafio assim como eu o fiz. Ainda mais agora que o novo Internacional de Santos surge para reafirmar o quanto essa prova é icônica, uso da minha vivência e experiência de 26 anos de esporte para fazer essa lista de 10 razões importantíssimas para convidar VOCÊ a participar dessa grande festa que irá acontecer no próximo dia 9 de fevereiro de 2020.

Inscreva-se no Internacional de Santos!

Dez motivos para participar do Triathlon Internacional de Santos

O Triathlon Internacional de Santos foi o primeiro triathlon olímpico oficial no Brasil

Para ser um bom atleta não basta só treinar. É importante conhecer a história do esporte, das provas, dos atletas, é importante ter ídolos, entender a evolução da modalidade até os dias de hoje, respirar o passado, inspirar-se, e aspirar o futuro. Logo, o clima dessa prova é tudo que você precisa para realmente fazer parte dessa comunidade e evoluir como atleta.

O Internacional de Santos foi o primeiro triathlon a ter a participação de atletas internacionais de peso

Pisar e competir onde os grandes nomes do triathlon passaram tem uma energia singular, uma “vibe” super positiva, mexe com o “eu” mais profundo de cada um. Até mesmo quem não é tão supersticioso acaba sendo tomado pela emoção de estar competindo no Triathlon Internacional de Santos.

Só para você ter uma idéia de quão importante essa prova é, veja os grandes nomes do TRI que já competiram em Santos: Mark Allen, Scott Molina, Spencer Smith, Ken Glah, Olivier Marceau, Victor Plata, Chris McCormack (Macca), Greg Welch, Craig Alexander (Crowie), Tim Dom, Oscar Galindez, Ezequiel Morales, Leandro Macedo, Alexandre Manzan, Marcus Ornelas, Armando Barcellos, Alexandre Ribeiro, Juraci Moreira, Reinaldo Colucci, Marcus Fernandes, Fábio Carvalho, Paulo Miyashiro, Igor Amorelli, e muitos outros.

Entre as mulheres tivemos Fernanda Keller, Suzanne Nielsen, Carol Montgomery, Michelle Jones, Nina Craft, Rachel Joice, Carla Moreno, Mariana Ohata, Adriana Piasek, Cris Carvalho (em memória), Márcia Ferreira, Sandra Soldan e muitas outras.

Quer se inspirar, fazer aquela prova dos sonhos, e quem sabe arrancar um RP? Alinha no Triathlon Internacional de Santos que o solo é sagrado.

O Internacional de Santos foi a primeira prova a ter patrocínio e apoio significativos de grandes empresas e marcas esportivas:

Por ter essa tradição e essa história, grandes marcas e grandes patrocinadores sempre quiseram estar junto dessa prova e desses atletas. Com o novo Internacional de Santos não será diferente. Será prova de altíssimo nível e qualidade, tem pedigree.

É a primeira prova do ano do calendário brasileiro

Tanto para aqueles atletas que estão em período de preparação geral (a tal base), como para aqueles que já estão com os treinamentos mais adiantados, essa prova é excelente para acertarmos os ponteiros, avaliarmos se a preparação está indo bem, e verificarmos onde precisamos fazer ajustes finos. É a primeira prova do ano para começar motivado e com o pé direito!

Leia mais

Inscrições abertas! Triathlon Internacional de Santos inicia nova fase em 2020

Distância olímpica: o seu triathlon começa aqui

Triathlon: como e por onde começar?

O Triathlon Internacional de Santos é uma das poucas provas, senão a única, que sempre teve seu calendário fixo

No Brasil temos uma infindável briga por calendários de provas mais consistentes, mas confiáveis. O Internacional de Santos sempre honrou com isso. Sempre tivemos a certeza de que em fevereiro ele estaria ali, pronto para nos receber de braços abertos, fizesse chuva, fizesse sol. É uma prova ponta firme!

O Triathlon Internacional de Santos acontece em pleno verão brasileiro

É aquela prova que realmente testa seus limites, sua resistência, sua cabeça. Verão, calor, alta umidade relativa, Baixada Santista.. é o vestibular que lhe credencia para as provas duras que você encontrará ao longo do ano.

A natação acontece em uma única volta

Isso sim é triathlon! Ao som da buzina, do canhão, do apito, ou o que valha, você corre, entra no mar, e completa a metragem de uma só vez, sem ter que dar voltinhas na praia. São aqueles 1500 m bem nadados.

O ciclismo é sem vácuo

É triathlon, não é? Nadar, pedalar e correr, certo? Então treine para fazer tudo isso sozinho sem precisar se valer de ajudas ou facilidades de terceiros. Dada as condições climáticas em que a prova ocorre, bem como o seu formato, pedalar forte os 40 km, sem vácuo, colocando o rosto no vento, e fazendo força sozinho o tempo todo, eleva o seu ciclismo a um outro patamar. Isso é triathlon!

A prova ajuda na preparação e serve de termômetro para as primeiras provas de IM70.3 do ano

A distância olímpica e no formato do Internacional de Santos pode servir como uma excelente preparação para as provas de Ironman 70.3, uma vez que, em termos fisiológicos, as demandas de ambas as provas são muito semelhantes (intensidade muito próxima ou ligeiramente acima do segundo limiar) e, tanto em provas de IM70.3 como no Internacional de Santos, o formato da natação (1 volta) e do ciclismo (sem vácuo) permite que o atleta teste como está a sua preparação e se o treinamento está indo pelo caminho certo.

É um capítulo da história do nosso esporte

Se você é triatleta ou está pensando em se tornar, e é apaixonado por esse esporte, tem que participar do novo Internacional de Santos para cravar o seu nome na história do triathlon brasileiro! Você faz parte de tudo isso!

Um forte abraço e nos encontramos na largada!

Fonte Oficial: Ativo.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal Corrida.

Comentários

Compartilhar:

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!