Facebook

Salto alto: entenda por que seu uso pode atrapalhar corredoras – Webrun

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr +

Quase toda mulher adora um salto alto. Ainda mais na hora de desfilar as pernas de corredora, que na maioria das vezes ficam torneadas e delineadas graças aos quilômetros no asfalto. No entanto, o que pouca gente sabe são as consequências que o uso excessivo pode trazer para as corredoras, uma vez que quase todas as pesquisas da área já reprovam o uso do salto alto para mulheres, que fazem ou não atividade física.

Uma das últimas pesquisas feitas sobre o tema, em 2010, comprovou cientificamente o que toda mulher já imaginava: seu uso pode causar varizes, flebites (inflamação das veias) e até tromboses. O estudo foi feito pela Divisão de Cirurgia Vascular e Endovascular do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP), da USP.

Salto alto: entenda por que seu uso pode atrapalhar corredoras – Salto alto: entenda por que seu uso pode atrapalhar corredoras – Foto: Val Thoermer/Fotolia

No caso das corredoras, a realidade é ainda pior. O uso do salto alto pode colaborar com lesões ósseas, de joelho e coluna. Além disso, seu uso altera inicialmente nosso eixo de equilíbrio e, devido ao posicionamento do pé para frente, influencia também a distribuição de carga nos pés.

+ O seu calendário de corridas está aqui!

O uso do salto alto para o corpo:

Dedos

Como o pé fica inclinado, a força recai sobre a região do antepé, causando dor, calos por atrito e até úlceras. Por isso, antes de colocar o salto, lembre sempre das bolhas nos dedinhos, especialmente depois do longão.

O bico fino é o responsável por outro problema. Como os dedos são comprimidos e ficam sobrepostos um sobre os outros, cria-se um quadro de halux valgo, popularmente conhecido como joanete. Ele pode entrar em desgaste formando saliências ósseas (artrose) quadro que também gera crepitação (estalos) e dor.

Metatarso

Essa é aquela área que na hora do impulso, principalmente na corrida, recebe a maior carga. Para se ter uma ideia, como o pé fica inclinado, a força recai sobre a região e depois é dali sai o impulso para dar o passo.

O uso do salto, além de causar dor, também pode causar úlceras e lesões devido a sobrecarga. Além disso, o aumento da pressão na cabeça do metatarso poderá gerar lesões ósseas como necroses e artroses; e das partes moles (tendinopatias e lesões ligamentares). Além do conhecido Neuroma de Morton.

Mediopé e retropé

Como são regiões que recebem menos carga e ficam encurtadas, o uso do salto gera um impacto na região posterior, causando dor, devido à proximidade do calcâneo, talus e tíbia.

Tornozelo e perna

Como o pé fica constantemente inclinado, a posição força a panturrilha, que por si só favorece as tendinopatia do Aquiles, encurtamentos, além de câimbras e lesões musculares.

Acredita-se erroneamente que o uso do salto alto fortalece a panturrilha, dando mais firmeza e beleza à batata da perna. Isso, na verdade, é uma contratura nas custas do encurtamento, tensão constante e não fortalecimento que deve ser feito de forma orientada.

+ Confira e inscreva-se para a Corporate Run 2019 Etapa RJ!

*Fonte: Ana Paula Simões, ortopedista e Professora Instrutora da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo.

Fonte Oficial: Webrun.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal Corrida.

Comentários

Compartilhar:

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!